raiva canina 3

Tutores Incríveis, hoje vamos falar sobre Raiva Canina.

Embora seja evitável, há uma boa razão pela qual a palavra “raiva” causa medo nas pessoas.

A “Raiva” é uma ameaça iminente à saúde pública.

Sem tratamento a raiva é fatal, levando à morte em algumas semanas.

Mas não vamos falar só sobre esta doença.

Vamos esclarecer a importância da prevenção via vacina antirrábica.

E por que você nunca deve deixar de vacinar seu cachorro contra raiva.

Sabe-se que os sérios problemas com as campanhas de vacinação de animais em 2010 e 2015 e a falta de vacinas em 2017 causaram pequenos surtos de Raiva pelo nosso país.

Mas nós não queremos fazer parte de estatísticas mortais, certo?

Por isso, fique atento e continue lendo para saber como se prevenir.

 

Veja o que você vai aprender neste artigo:

A Raiva é uma doença causada por um vírus e é considerada uma zoonose.

As zoonoses são doenças que podem contaminar tanto animais como também humanos.

O vírus da Raiva está presente na saliva e por isso a mordida de um animal infectado (ou humano) é a principal forma de transmissão da doença.

Entretanto, uma lambida em feridas abertas também pode transmitir a doença.

Na área rural, o morcego é o principal responsável por transmitir a Raiva.

Já na área urbana, cães e gatos são os principais animais afetados.

Infelizmente, a raiva, se não for tratada, será fatal.

O vírus causa uma espécie de inflamação irreversível no sistema nervoso do paciente.

Em cães, a morte pode ocorrer entre 15 a 60 dias após a infecção (isto é, após a mordida).

Os riscos de contrair Raiva são maiores para cães de área rural.

Cães não vacinados que andam ao ar livre sem supervisão também correm maior risco de infecção.

Eles estão expostos a animais selvagens e têm uma chance maior de lutar com cães ou gatos infectados.

O cão infectado pode apresentar mudanças comportamentais extremas, como inquietação ou apreensão, que podem ser agravadas pela agressão.

Pode acontecer de cães amigáveis se ​​tornarem irritáveis, enquanto animais normalmente excitáveis ​​podem se tornar mais dóceis.

Os sentidos do cão infectado ficam “à flor da pele” e eles podem acabar atacando outros animais, seres humanos e até objetos inanimados.

Eles podem constantemente lamber, morder e mastigar o local onde foram mordidos.

A febre e falta de apetite também podem estar presentes neste estágio.

À medida que a doença avança, o cão infectado pode se tornar hipersensível ao toque, à luz e ao som.

Eles podem comer coisas incomuns e se esconderem em lugares escuros.

Os sinais de doença avançada são:

  • Paralisia dos músculos da garganta e mandíbula;
  • Formação de espuma na boca;
  • Desorientação, incoordenação e desconforto;
  • Paralisia das pernas traseiras;
  • Fraqueza, convulsões e morte súbita.

Se o seu cachorro foi mordido, verifique em primeiro lugar o tipo de lesão que a mordida causou.

Caso haja perfuração, laceração ou ruptura da pele, entre em contato e dirija-se imediatamente para o médico veterinário.

Reúna as informações sobre cão e principalmente sobre o status de imunização contra a raiva dos cães envolvidos.

Se o seu cachorro foi mordido e foi vacinado há menos de 6 meses, de um modo geral não há o que se preocupar com relação à raiva.

Mesmo que o cão mordedor tenha o vírus da raiva o seu cachorro estará protegido.

Muitos veterinários indicam o reforço da vacina após a mordida mesmo se o cão estiver vacinado há menos de 6 meses.

Principalmente em regiões em que há casos de raiva.

De outra forma, reforçar a vacina antirrábica será necessário caso seu cachorro esteja com a vacinação de raiva atrasada ou se ele foi vacinado há mais de 6 meses.

Outro caso de extrema necessidade de vacinação ou reforço da vacina antirrábica é se o cão for mordido por morcegos ou outros animais silvestres.

As mordidas de cães podem causar danos significativos na pele.

Entretanto, pode haver um tipo de lesão que nem sempre pode ser vista facilmente.

Por isso, a melhor coisa a se fazer é chamar seu médico ou se dirigir ao Serviço de Emergência mais próximo.

Cuidados médicos podem ser necessários ​​se a mordida do cão romper a pele causando perfuração, laceração ou ruptura.

Além disso, se houver dor perto da mordida do cão, os cuidados médicos podem ser necessários.

As feridas devem ser mantidas elevadas e, se possível, você pode tentar limpar a mordida do cão com água.

Se possível, reúna informações sobre cão e principalmente sobre o status de imunização contra a raiva do cão.

Caso não seja possível obter estas informações, exija o tratamento pós-mordida contra raiva.

Você vai precisar receber uma série de injeções para proteger sua saúde o mais cedo possível.

Se possível, entre em contato com o departamento de saúde local para relatar a mordida.

A mordida de um cachorro nem sempre resulta em raiva.

Mas, se acontecer, as medidas acima precisam ser tomadas.

Caso o seu cão tenha mordido outra pessoa, reúna os documentos dele, principalmente a carteira de vacinação, e acompanhe o tratamento da pessoa mordida.

Entregue aos profissionais que cuidarão do caso para que eles se certifiquem que está tudo correto (ou infelizmente não).

A principal forma de proteger seu cachorro é aplicando a vacina antirrábica.

A vacina antirrábica deve entrar no calendário de vacinação dos seus cães.

Eles podem ser vacinados a partir do quinto mês de idade.

A vacina tem a validade de 1 ano, isto é, o reforço anual é necessário.

A vacina antirrábica é gratuitamente oferecida pela rede pública da maioria das cidades no Brasil.

Geralmente, no mês de agosto, “mês do cachorro louco”, são realizadas diversas campanhas de vacinação com o intuito de aumentar a proteção contra a Raiva por todo o país.

Então muitas pessoas acabam esperando por estas campanhas para vacinar seus cachorros.

Entretanto em muitos lugares a vacina está disponível durante todo o ano.

Nos últimos anos, a vacinação contra Raiva vem encontrando vários obstáculos.

Em 2010, o Governo de São Paulo colocou à disposição, durante uma campanha, uma nova marca de vacina antirrábica que acabou causando reação alérgica em centenas de animais.

Vários destes animais morreram devido a estas reações.

A notícia repercutiu por todo o país e, a partir desse ano, muitos tutores deixaram de vacinar seus cães por medo da vacina.

Ok, eu também ficaria com muito medo, certo? Afinal é de um filho de 4 patas que estamos falando!

Depois deste problema houve  outros casos parecidos de menor grau em alguns locais do Brasil.

As vacinas antirrábicas oferecidas pela rede pública nem sempre vão causar reações nos cães.

Isso vai depender de vários fatores, tais como:

  • A forma como foi produzida a vacina;
  • Saúde do animal vacinado;
  • Imunidade do animal vacinado e outros.

Caso você tenha medo de vacinar seu cachorro na rede pública, procure um consultório ou clínica veterinária.

As vacinas aplicadas por veterinários são muito mais seguras e têm respaldo tanto do médico veterinário, como do fabricante.

Esta é também a vacina mais barata entre todas as que seu cachorro vai tomar.

Por isso, não há desculpa para deixar seu cachorro sem a vacinação.

A vacinação do seu cachorro é tão importante para ele quanto para sua família.

Em áreas urbanas, o principal transmissor da Raiva é o cachorro.

Por isso, vacinando seu cachorro você protege sua família.

Conclusão

Esperamos que você tenha obtido todas as informações sobre a Raiva Canina.

Cuidar de uma vida canina é uma grande responsabilidade.

E nós da Cachorros Incríveis nos orgulhamos de contribuir diariamente com a criação de conteúdos informativos, educacionais e treinamentos para Tutores Incríveis.

Pensando nisso, elaboramos um super guia sobre como cuidar do seu cachorro, desde o primeiro dia que ele entra em sua casa, para que Tutores Incríveis possam resolver seus problemas e necessidades de uma forma prática e fácil.

E ensinar como serão e o que fazer nos primeiros dias do cachorro em sua casa é apenas um dos assuntos que você poderá aprender no nosso guia completo “Tenho Um Cachorro e Agora”.

Clique Aqui Para Conhecer o Ebook

 

Nele você vai aprender tudo sobre como cuidar do seu cachorro, dicas de alimentação, adestramento, atendimento veterinário, entre outros.

E se você chegou até o final deste super artigo, nos ajude a conscientizar milhares de pessoas sobre a Raiva Canina e vacinação antirrábica compartilhando este artigo em suas redes sociais.

Não se esqueça também de deixar um comentário abaixo nos falando mais sobre o assunto!

Até o próximo artigo

Um Aubraço