Cachorro Bravo 4

Vamos concordar que ter um cachorro bravo em casa não é bem o sonho de nenhum tutor!

Nem mesmo um cão de guarda deve ser agressivo!

Se um cão rosna ou morde humanos e/ou outros animais regularmente, isso é realmente um problema de comportamento grave.

Além disso, crianças estão em maior risco com esses animais, especialmente as menores.

Aliás, a agressividade é uma das principais razões pelas quais os tutores procuram ajuda de um especialista, ou pior, abandonam seus cães!

Embora a agressão não possa ser curada da noite para o dia, existem alguns passos que você pode tomar para conter esse comportamento.

Mas, antes disso, você precisa saber identificar a causa dessa agressividade.

Um filhotinho lindo pode se tornar um cachorro bravo por diversas razões.

Por isso, o primeiro passo é saber o porquê desse comportamento, pois a agressão de um cão é altamente indesejável.

E, então, aplicar o adestramento correto.

Mas tenha em mente que treinar um cão agressivo exige tempo e paciência, além de muito cuidado.

Por isso, veja o que você vai aprender neste artigo:

O comportamento “agressivo” em um cão pode ser descrito como qualquer situação na qual um cachorro começa a alertar sobre um ataque iminente, ficando imóvel e rígido enquanto rosna até que o cão realmente ataca.

Um cão agressivo pode mostrar os dentes, rosnar ou morder rapidamente uma pessoa.

Veremos esses sinais detalhadamente no próximo tópico.

Praticamente todos os animais selvagens são agressivos quando guardam seus territórios, defendendo seus descendentes e se protegendo.

Espécies que vivem em grupos, incluindo pessoas e cães, também usam a agressão e a ameaça de agressão para manter a paz e negociar interações sociais.

E não são só cães grandes que estão propensos à agressão, mas qualquer tamanho e raça pode causar problemas.

A diferença entre um Pinscher agressivo e um Fila agressivo é que as raças maiores podem causar danos proporcionalmente maiores.

Isso não é apenas “assustador”, mas bastante preocupante.

Entretanto, é sabido que algumas raças têm maior propensão a personalidade agressiva e isso não tem nada a ver com o tamanho.

Agressão inclui uma série de comportamentos que geralmente começam com avisos e podem acabar em um ataque.

Um cão que mostra sinais de agressão geralmente exibe uma sequência de comportamentos cada vez mais intensos.

Ele começa ficando muito quieto e rígido e, então, pode latir profundamente, o que soa ameaçador.

Muitas vezes ele pode encurralar o alvo para a frente sem que haja contato físico.

O abocanhar também é um aviso mais claro, como que para mover ou controlar o alvo, sem aplicar pressão significativa.

Rosnar, mostrar os dentes ou os dois juntos são também sinais clássicos.

As formas de ataque podem variar de golpes com o focinho (o cachorro literalmente soca a pessoa com o focinho) até as temidas mordidas.

Essas mordidas podem ser:

  • Dentadas
  • Mordiscar rapidamente sem deixar marca
  • Mordida rápida que rasga a pele
  • Mordida com pressão suficiente para causar uma contusão
  • Mordida que causa ferimentos perfurantes
  • Mordidas repetidas seguidamente
  • Morder e sacudir o alvo.

Nem sempre  há uma sequência de comportamentos certa.

Muitas vezes os pais do cachorro não reconhecem os sinais de aviso antes de uma mordida.

E, quando percebem, de repente, seus cães estão “voando” para o alvo.

Pode ser apenas milissegundos entre um aviso e uma mordida, mas os cães raramente mordem sem dar algum tipo de aviso prévio.

Um cachorro pode apresentar comportamento agressivo devido à frustração, medo, territorialidade ou várias outras razões.

Uma das maiores causas de agressão é a falta de socialização quando filhote, o que leva o cão a ter medo do que vê ao seu redor.

Um cachorrinho com medo corre de volta para sua mãe em busca de proteção.

Mas um adulto medroso (especialmente um que não pode fugir) ataca como a melhor forma de defesa e acaba se tornando agressivo.

Se o seu cão tem se comportado de maneira agressiva ou se você suspeitar que ele pode se tornar agressivo, reserve um tempo para avaliar a situação que pode ter causado a agressão.

Alguma pessoa ou evento causou a agressão?

Quando e onde aconteceu?

O que mais estava acontecendo na época?

O que acabara de acontecer ou estava para acontecer com o seu cachorro?

O que pareceu parar com sua agressão?

Encontrar as respostas para essas perguntas pode esclarecer as circunstâncias que estimularam a reação agressiva do seu cão.

Pode também fornecer informações sobre as razões de seu comportamento.

Você precisa de um diagnóstico preciso antes de poder ajudar seu cão.

Os tipos de agressão que veremos a seguir também ajuda a descobrir a causa.

Os problemas de comportamento agressivo em cães podem ser classificados de maneiras diferentes.

Uma boa forma de entender por que seu cão é agressivo é baseada na função ou propósito da agressão.

E, dessa forma, você pode determinar o que motiva seu cão a se comportar agressivamente.

Além disso, poderá também identificar o que ele espera ter com seu comportamento.

Agressão Territorial

Alguns cães atacam e mordem um intruso, até mesmo intrusos amigos.

Os ancestrais selvagens dos cães sempre foram territoriais, eles costumam viver em determinada área e defendem essa área de intrusos.

Por exemplo, os lobos são altamente territoriais. Se um coiote ou um lobo que não faz parte da sua matilha invadir seu território, os lobos residentes atacam e expulsam o intruso.

Alguns cães exibem as mesmas tendências.

Eles latem e atacam pessoas ou outros animais que invadem seu território.

Apesar de ser uma característica frequentemente valorizada em cães de guarda, alguns cães atacam e mordem um intruso, seja amigo ou inimigo.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão territorial.

Filhotes raramente são territoriais.

O comportamento territorial geralmente aparece quando os filhotes amadurecem, aproximadamente entre 1 e 3 anos de idade.

Agressão Protetora

Alguns cães podem mostrar comportamento agressivo quando pensam que um dos seus familiares ou amigos estão em perigo.

Na natureza, se um membro da matilha está em perigo, os outros geralmente correm para ajudar a defender esse indivíduo.

Isso é classificado como uma agressão protetora porque os cães estão protegendo um dos seus.

Cães de estimação podem mostrar o mesmo tipo de comportamento agressivo quando pensam que um dos seus familiares ou amigos (humanos ou animais) está em perigo.

Às vezes, os cães reservam agressividade protetora para os indivíduos que consideram particularmente vulneráveis.

Por exemplo, uma cachorrinha que nunca mostrou agressão a estranhos no passado pode começar a se comportar de forma agressiva quando ela tem uma ninhada de filhotes.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão protetora.

Filhotes raramente são protetores.

Assim como o comportamento territorial, a agressão protetora geralmente aparece entre 1 e 3 anos de idade.

Agressão Possessiva

Muitos cães mostram a tendência de guardar suas posses, quer precisem ou não.

Os cães evoluíram de ancestrais selvagens que tinham que competir por comida, locais e companheiros para sobreviver.

Mesmo que nossos cães de estimação não enfrentem mais essas duras realidades, muitos ainda mostram tendência de guardar suas posses.

Alguns cães só se preocupam com a comida e podem reagir agressivamente quando uma pessoa ou outro animal chega perto de sua tigela de comida ou se aproxima deles enquanto comem.

Outros cães guardam seus ossos, seus brinquedos ou coisas que eles “acham”.

Outros ainda guardam seus pontos de descanso favoritos, suas casinhas ou suas camas.

Normalmente, um cão possessivo é fácil de identificar, porque ele só é agressivo quando tem algo que deseja.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão possessiva e esse tipo de agressão é comum em filhotes e adultos.

Agressão Por Medo

Um cão com medo pode se tornar agressivo se encurralado ou preso.

Quando os animais e as pessoas têm medo de alguma coisa, respondem se afastando dela.

Mas, se escapar não é uma opção, a maioria dos animais mudará para uma resposta de luta para se defender.

Assim, um cachorro pode ter medo de uma pessoa ou outro animal e ainda assim atacar se achar que esse é seu único recurso.

Um cão medroso normalmente adota posturas de medo e recua, mas também pode se tornar agressivo.

Existem alguns cães se encolhem diante da possibilidade de punição física, mas atacam quando algo ameaçador os assusta.

Às vezes, fogem do que os assusta, mas, se o alvo se virar para sair, eles surgem por trás e atacam.

É por isso que é uma boa ideia evitar virar as costas para um cão medroso.

A agressão ao medo é caracterizada por mordidas rápidas ou pequenas mordidelas, pois o cão que está com medo é motivado a morder e depois fugir.

Esse tipo de agressão também não começa com ameaças claras, o cachorro pode não mostrar os dentes ou rosnar para avisar a vítima.

Nesse tipo de situação, a única advertência é a sua postura de medo e suas tentativas de recuar.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos a ter medo de agressão e esse tipo de agressão é comum em filhotes e adultos.

Agressão Defensiva

Motivados pelo medo, os cães defensivamente agressivos decidem que a melhor defesa é um bom ataque!

A principal diferença entre agressão por medo e agressão defensiva é a estratégia adotada pelo cão.

Cães defensivamente agressivos ainda são motivados pelo medo, mas, ao invés de tentar recuar, eles atacam.

Eles exibem uma mistura de postura medrosa e ofensiva e, independentemente do que o alvo faz,  o cão defensivamente agressivo geralmente faz o primeiro ataque.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão defensiva.

É mais comum em adultos do que em filhotes simplesmente porque os cães precisam ter alguma confiança para o ataque.

Agressão Social

Um cão que se perceba alto status social pode mostrar agressão aos familiares.

Os cães vivem em grupos sociais e normalmente vivem de acordo com certas regras a fim de minimizar o conflito entre os membros do grupo.

Eles adotam um tipo de ordem hierárquica que influencia todos os membros do grupo.

Essas relações são frequentemente reforçadas por demonstrações de agressão ritualizada.

Os indivíduos do grupo de alto status usam ameaças agressivas para lembrar os outros o seu lugar na matilha.

Algumas vezes as relações entre pessoas e cães domésticos são semelhantes e, por isso, é importante saber que um cão que se percebe em alto status social pode mostrar agressão aos “familiares”.

Um bom exemplo disso é a submissão a um dos membros da família e a agressão em relação aos outros.

Na maior parte do tempo são cães amigáveis ​​e despreocupados, mas, se sentirem que alguém na matilha ultrapassou seus limites, podem rapidamente recorrer à agressão.

A agressão social é um pouco mais comum em machos do que em fêmeas e também raças puras do que em raças mistas.

Filhotes raramente são socialmente agressivos com as pessoas, mas eles podem ser com outros cães, principalmente irmãos de ninhada.

A agressão social é muito discutida entre os especialistas.

Alguns acreditam que toda agressão social está enraizada no medo e na ansiedade, enquanto outros acreditam que ela é motivada pela raiva e pelo desejo de controle.

Alguns profissionais sugerem técnicas para induzir medo e respeito em seu cão.

Mas há uma boa chance de que seu cão piore em vez de melhorar ao utilizar isso e você pode ser mordido no processo.

Por isso, tenha cuidado. Nós da Cachorros Incríveis somos totalmente contra quaisquer tipos de maltrato com os animais.

Agressão Provocada Pela Frustração

Um cão muito entusiasmado ou excitado por algo, pode se tornar agressivo quando reprimido.

Os cães podem ser como crianças humanas, pois, quando ficam frustrados, às vezes atacam com agressão.

Por exemplo, um cachorro frustrado pode se virar e morder sua coleira ou morder a mão que segura a coleira.

Isso explica por que alguns cães normalmente amigáveis ​​se tornam agressivos quando colocados atrás de um portão, em uma gaiola ou caixote, em um carro ou em uma coleira.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão provocada pela frustração e esse tipo de agressão ocorre tanto em filhotes quanto em adultos.

Agressão Redirecionada

A agressão redirecionada ocorre quando um cão é estimulado ou exibe agressividade em relação a uma pessoa ou animal e outra pessoa interfere.

A agressão redirecionada é muito parecida com a agressão provocada pela frustração, com a exceção de que o cão não precisa estar frustrado.

O cão redireciona sua agressão da fonte que a provocou para a pessoa ou animal que interferiu.

É por isso que as pessoas são frequentemente mordidas quando tentam acabar com as lutas de cães.

Quando uma pessoa agarra ou empurra um cão de uma luta, o cão pode de repente se virar e morder.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão redirecionada e esse tipo de agressão ocorre tanto em filhotes quanto em adultos.

Agressão Induzida Pela Dor

Um cão gentil e amigável pode se comportar agressivamente quando estiver com dor.

É por isso que é tão crucial tomar precauções ao lidar com um cão ferido, mesmo que ele seja seu.

O uso indevido de certos equipamentos de treinamento, como o colar de choque, pode infligir dor a um cão e provocar uma mordida.

Cães machos e fêmeas são igualmente propensos à agressão provocada pela dore esse tipo de agressão pode ocorrer tanto em filhotes quanto em adultos.

Agressão Relacionada Com o Sexo

Os cães machos não castrados competem pela atenção das fêmeas no cio e as fêmeas competem pelo acesso a um macho.

Cães machos, às vezes, desafiam e lutam com outros cães machos, mesmo quando não há fêmeas presentes.

A luta também pode irromper entre os machos que vivem juntos na mesma casa.

Na natureza, isso é adaptativo porque os machos mais fortes são mais propensos a atrair fêmeas para reprodução.

Da mesma forma, as fêmeas que vivem juntas no mesmo agregado familiar podem competir para estabelecer qual fêmea tem acesso a um macho para reprodução.

Esse tipo de agressão é observada com maior frequência em machos e menos em fêmeas.

Alguns cães que foram castrados ou esterilizados quando adultos ainda podem mostrar esse tipo de agressão.

Agressão Predatória

Alguns cães de estimação mostram comportamentos predatórios caninos clássicos, incluindo perseguir e agarrar coisas que se movem rapidamente.

Muitos cães gostam de perseguir pessoas correndo, pessoas em bicicletas e carros.

Eles também podem perseguir outros animais de estimação, animais selvagens e gado.

Alguns cães mordem e até matam se conseguirem pegar o que estão perseguindo.

Agressão predatória é muito diferente de outras classificações de agressão, porque raramente há qualquer aviso antes de um ataque.

Um cão predatório não rosna nem mostra os dentes para avisar sua vítima, então a agressão predatória pode surgir do nada.

O comportamento predatório pode ser especialmente perturbador se for direcionado para um bebê humano.

Às vezes, o som de um bebê chorando ou o movimento de tirar um bebê do berço pode desencadear uma reação rápida em um cão predador.

Felizmente, a agressão predatória direcionada a pessoas ou a outros cães é extremamente rara em cães de estimação.

1. Socialize Seu Cachorro

Para ficar com medo, os cães não precisam necessariamente ter tido uma experiência desagradável.

Cães que estão com medo são aqueles que não tiveram a oportunidade de se socializar com pessoas suficientes.

Portanto, a socialização é muito importante.

Se o seu cachorro for criado para ver pessoas (adultos e crianças) como provedores de diversão, elogios e petiscos, eles não precisarão demonstrar um comportamento ameaçador.

Você também deve expor seu filhote a ruídos e situações que possam assustá-lo desde cedo para ajudá-lo a superar seus medos.

Então, coisas potencialmente assustadoras, como o aspirador de pó, o trânsito ou o carteiro se tornam ocorrências cotidianas que eles enfrentam normalmente.

2. Brincar Não Deve Sair do Controle

Brincar de morder é algo natural de um filhote.

Mas, para evitar mordidas excessivas, você precisará desviar sua atenção das mãos para os brinquedos dele.

Torne difícil para ele morder sua mão oferecendo um brinquedo, acenando e balançando-o ao redor dele.

Não demorará muito para que ele aprenda que os brinquedos são muito mais divertidos de se brincar e mastigar do que um grande punho.

3. Use Reforço Positivo

Você pode usar reforço positivo para ensinar ao seu cão novos comportamentos.

Por exemplo, se o seu cão é ligeiramente agressivo em relação a estranhos, comece por ficar longe de alguém que o seu cão não conhece.

A distância deve ser longe o suficiente para que seu cão não comece a rosnar ou estalar.

Então dê-lhe muitos petiscos e elogios.

E diminua gradualmente a distância entre o seu cão e estranhos, continuando a usar o reforço positivo.

Seu cão começará a aprender que estranhos são iguais e você deve ver uma diminuição na agressão.

Esse mesmo processo gradual pode funcionar para acostumar seu cão em outros tipos de situações de agressividade.

4. Punições Não Funcionam

Punir seu cão por comportamento agressivo geralmente é um tiro pela culatra e pode agravar a agressão.

Se você responder a um cão que está rosnando, batendo ou gritando com ele, pode ser que ele acabe sentindo a necessidade de se defender atacando.

A punição também pode levar o cão a morder sem aviso.

Por exemplo, se o seu cão rosna para as crianças, está tentando lhe dizer que é desconfortável ao redor delas.

Se você punir seu cachorro por rosnar, ele pode não dar esse aviso da próxima vez que ficar desconfortável e vai simplesmente morder.

5. Castre Seu Cão

Há evidências que sugerem que os cães castrados, tanto machos como fêmeas, tendem a ser menos agressivos.

Contudo não há garantia disso.

Há também uma série de boas razões para castrar seu cão.

Aproveite e veja nosso artigo sobre Castração.

6. Procure Ajuda Profissional

Dependendo da gravidade, talvez seja necessário ajuda profissional.

Cães que são agressivos porque estão com medo podem precisar de medicação para ajudar a lidar com o problema.

Converse com seu veterinário sobre suas opções.

Caso você mesmo tenha medo de lidar com seu cachorro, peça ajuda a um adestrador.

Verifique a experiência desse profissional com animais agressivos e se certifique de que ele tenha o melhor adestramento possível.

Conclusão

Agressão de cães é uma questão complexa. Viver com um cão agressivo não é fácil!

Não há solução fácil e rápida que transforme o cachorro de agressivo para bem comportado em um passe de mágicas, especialmente se a agressividade estiver nos estágios graves.

No entanto, com a abordagem correta e muita paciência, você pode conseguir!

Como com outros problemas comportamentais, a prevenção é a chave.

Se você eliminar o problema pela raiz, você se poupará do trabalho de corrigir uma questão importante no futuro.

Os cães mais agressivos tendem a exibir sinais precoces, que, quando percebidos a tempo, podem ser resolvidos.

Qualquer que seja a escolha certa para você e seu cachorro, lembre-se: é um esforço que vale a pena.

Esperamos que este artigo tenha ajudado você de alguma forma caso esteja tendo problemas com um cachorro bravo.

E, por favor, nos ajude a levar informações para outros tutores de cães compartilhando este artigo com seus amigos e em suas redes sociais.

Fazendo isso você estará ajudando outros apaixonados por cães que podem ter os mesmos problemas com um cachorro bravo!

Não se esqueça de deixar um comentário nos dizendo se você já teve problemas com um cachorro bravo e se conseguiu resolvê-lo com o que aprendeu aqui no artigo.

Deixe-nos saber nos comentários!

Compartilhe suas experiências conosco!

Até o próximo artigo!

Um AUbraço