É correto dizer que o assunto castração de cachorro já é bastante conhecido. Porém muitos clientes me procuram com vários tipos de dúvidas sobre o procedimento em si e seus benefícios.

E acaso você que está lendo este artigo tenha algumas dúvidas assim como meus clientes, continue lendo este artigo para saber como decidir sobre a castração do seu cachorro.

 

Você está no lugar certo se:

  • Você deseja saber sobre os benefícios e desvantagens da castração de cachorro
  • Você quer saber qual a melhor idade para fazer uma castração de cachorro
  • Você quer saber os riscos do procedimento cirúrgico de uma castração de cachorro

 

Então se você é como muitos tutores de cachorros e deseja se informar melhor antes de decidir sobre castrar seu cachorro, este artigo colocará todas as questões envolvidas para que você possa decidir adequadamente.

 

O que você vai aprender neste artigo:

 

Uma das medidas mais eficazes para controle populacional dos cachorros é a castração, um procedimento seguro e comum em clínicas e hospitais veterinários.

Mas ainda existem muitas dúvidas a respeito desta questão, assim como preconceito com a castração principalmente de machos.

Outra questão que surge é que muitas pessoas estão sendo informadas de que seria totalmente necessário castrar o seu cão, sendo que os efeitos seriam todos somente positivos e nenhum negativo, e que, além disso, a castração deve ser feita o mais cedo possível, certamente antes dos seis meses de idade, ou até mesmo antes, aos 3 meses, o que nós veterinários chamamos de castração pediátrica.

Todas essas informações parecem ser absolutas, porém pesquisas atuais sobre a castração de cachorro mostram que essa é uma questão não tão simples.

Há uma série de riscos associados que os donos de animais não estão sendo informados.

Para tanto, separamos para você todas as informações por sexo. Vamos ver primeiro a respeito da castração de cachorro macho.

 

Os 5 Maiores Benefícios Comportamentais Com a Castração de Cachorro Macho

1 – A castração reduz a marcação de território

O cão macho não castrado normalmente tem comportamentos dirigidos pelo hormônio testosterona, que é o hormônio masculino.

Alguns destes comportamentos são: levantar a perninha para urinar e marcar o território. Esse comportamento pode ocorrer tanto na rua , quando você sai para passear, como dentro de casa. Nesse comportamento, o macho está indicando que ele é o dominante.

A castração reduz este comportamento, principalmente se o procedimento for feito antes da puberdade do animal, que ocorre entre 6 a 8 meses de idade, dependendo do tamanho e raça.

Entretanto, não se pode dizer que 100% irá responder a retirada deste hormônio. Isso porque existem outros lugares no corpo que produzem testosterona, em menor número, obviamente, mas produzem.

E também porque esse comportamento se torna um hábito para o animal, sendo necessário entrarmos também com adestramento do cachorro.

 

2 – A castração reduz comportamentos sexuais

Muitos cães machos têm tendências a montar em outros cães, travesseiros, bichinhos de pelúcia ou até mesmo na perna das pessoas.

Isso pode ocorrer pelo excesso de excitação, falta de exercício, tentativa de mostrar domínio. A castração reduzirá estes comportamentos sexuais.

 

3 – A castração preserva seu cão de perseguir fêmeas no cio

Uma fêmea no cio produz e exala feromônios (produtos químicos indicando o cio) a quilômetros de distância.

Os machos farejam este cheiro e muitas vezes escapam para perseguir as fêmeas. Eles podem ficar também agitados, tristes e até mesmo agressivos. A castração põe fim a tudo isso.

 

4 – A castração reduz o risco de brigas ou ataques de outros machos

Preservando seu cão de perseguir fêmeas, há também a redução nas brigas por território e dominância com outros machos.

 

5 – A castração reduz a dominância e agressividade

Por causa da retirada da testosterona, a dominância e agressividade são reduzidas.

Entretanto se há dominância ou agressividade por falta de socialização ou treinamento inadequado será necessário que o cão passe por um adestramento.

 

Benefícios da castração do macho do ponto de vista médico

A castração previne câncer no testículo

O câncer testicular acomete cerca de 7% dos animais não castrados, com a castração esse risco é totalmente eliminado.

 

A castração reduz o risco de doenças na próstata.

A próstata é um órgão afetado pela testosterona, e com o passar da idade, ela tende a aumentar e sofrer ainda mais influência da testosterona.

Cães com doenças de próstata têm problemas para urinar, dor, apatia, perda de peso entre outros sinais.

A castração reduzirá os riscos de doenças na próstata, assim como serve como tratamento para aumento de próstata.

Em contrapartida, não há evidências científicas de que a testosterona aumenta o risco de câncer de próstata.

 

As 3 Maiores Desvantagens da Castração de Cachorro Macho

Todas as desvantagens da castração de cachorro referem-se às consequências da retirada de testosterona do corpo.

Este hormônio é fundamental em vários processos do organismo e estas são suas consequências.

 

1 – A castração pediátrica aumenta o risco de displasia, rompimento de ligamentos e osteossarcoma (câncer ósseo).

A testosterona tem papel fundamental na formação dos ossos. Retirando-a prematuramente, os ossos não terão tempo de se desenvolver adequadamente.

Desta forma, a castração precoce pode fazer com que os ossos cresçam desiguais e fracos, deixando o animal susceptível a ter displasia coxofemoral, rompimento dos ligamentos ósseos e osteossarcoma.

Estudos mostram que animais castrados tem 4x mais câncer nos ossos que os não castrados, principalmente se forem castrados antes de 6 meses de idade. Isso se deve a vários fatores, principalmente a falta do hormônio testosterona para um bom desenvolvimento ósseo e ao aumento de peso.

 

2 – A castração aumenta o risco de obesidade

Com a retirada de testosterona o metabolismo do animal fica modificado, tornando se mais lento, por isso os animais castrados ficam mais susceptíveis a obesidade.

 

3 – A castração aumenta o risco de hipotireoidismo

Estudos demonstram que cães castrados tem 3x mais chance de ter hipotireoidismo, isto acontece devido à queda no metabolismo.

 

4 Grandes Benefícios da Castração da Fêmea

1 – A castração acaba com os desconfortos do cio

Existem alguns pequenos desconfortos sociais e comportamentais quando a fêmea entra no cio.

O primeiro deles é o sangramento, nesse caso, após a castração, como serão retirados útero e ovários, a fêmea jamais entrará no cio novamente e, portanto, nunca mais irá apresentar sangramento.

A castração também acabará com os períodos de vigilância e confinamento que se exige dos tutores quando a fêmea está no período de cio.

As fêmeas no cio têm tendências a fugir para “flertar com outros cães”.

E com a castração esses desconfortos todos acabarão.

 

2 – A castração previne infecção uterina

Piometra é o nome genérico do qual nos veterinários chamamos a infecção de útero. A ocorrência desta infecção é muita alta.

Estima-se que 25% das fêmeas não castradas desenvolverá piometra, isto é uma em quatro cadelas terá piometra.

Esta infecção é bem grave e apenas a castração de emergência pode curar a piometra, transformando um procedimento simples, em uma cirurgia perigosa e emergencial.

Toda essa situação pode ser completamente evitada com a castração.

 

3 – A castração protege contra o câncer de mama

A castração tem um efeito protetor na fêmea contra o câncer de mama.

Sabe-se que a maioria dos cânceres na mama em cadelas é responsivo ao hormônio, e retirando a fonte deste hormônio (ovários) conseguimos diminuir a chance dela ter este tipo de câncer.

Estudos mostram que a castração antes do primeiro cio, que ocorre em torno dos seis meses de idade, previne em 99,5% a chance de se desenvolver câncer de mama.

Este efeito de proteção diminui a cada cio que se passa.

 

4 – A castração previne gestação psicológica

É relativamente comum algumas fêmeas não castradas apresentarem sinais de gestação algumas semanas após o cio, mesmo não estando prenhes. Sinais como mamilos inchados produzindo leite são observados. Esta condição é chamada de gestação psicológica e é causada por um desequilíbrio hormonal. Se a sua fêmea já apresentou gestação psicológica é muito provável que nos próximos cios ela vá apresentar novamente. Nestes casos é altamente recomendável a castração.

 

3 Desvantagens da castração da fêmea

1 – A castração aumenta o risco de obesidade

Assim como nos machos, as fêmeas castradas tem 3x mais riscos para obesidade.

 

2 – A castração aumenta o risco de hemangiosarcoma

Hemangiosarcoma é um tumor bastante grave.

Estudos indicam que os hormônios reprodutivos propiciam efeitos de proteção contra este câncer.

Nestes estudos foi demostrado que as fêmeas castradas têm duas vezes mais hemangiosarcoma no baço em comparação com as não castradas.

 

3 – A castração aumenta o risco de hipotireoidismo

A perda dos hormônios reprodutivos prejudica o sistema endócrino. As fêmeas castradas têm 3x mais chance de desenvolver hipotireoidismo do que as não castradas.

 

A castração como controle populacional

A castração é sem dúvida a melhor medida para controle populacional.

Em nosso país, as políticas para se cuidar de animais abandonados são poucas e muitos deles sofrem nas ruas, morrendo de fome e sede, ou com doenças devastadoras, sem nunca ter tido oportunidade de serem tratados.

As ONGs e casas de voluntários estão abarrotadas de animais que são irresponsavelmente abandonados e se reproduzem mais ainda nas ruas.

Estima-se que uma fêmea não castrada e sua geração podem produzir em torno de 80 mil cães em 10 anos!

Portanto, a castração torna-se uma medida preventiva altamente eficaz contra a procriação indiscriminada.

 

Riscos do procedimento cirúrgico

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, a castração tem riscos.

Trata-se de uma cirurgia que necessita de anestesia geral, e portanto, existem riscos ligados a anestesia como parada cardiorrespiratória.

Por isso, é altamente recomendado que o seu cachorro ou cadela passe pelo veterinário para um exame clínico antes da castração.

Exames de sangue devem ser feitos para segurança do seu animal e do procedimento.

Quanto mais cuidadoso você for, menores são os riscos.

Aqui no Brasil, muitos veterinários não fazem exames pré-operatórios para a castração, pois eles encarecem os custos para o proprietário, que muitas vezes deixa de fazer o procedimento por causa do valor.

Mas esta atitude não é recomendada.

Por outro lado, as cirurgias de castração são procedimentos rápidos e rotineiros no dia a dia do veterinário, o que faz com que o risco cirúrgico seja baixo.

No macho são retirados os dois testículos, e a cirurgia de castração se chama orquiectomia.

Na fêmea são retirados os ovários, trompas e útero, e a cirurgia de castração se chama ovariosalpingohisterectomia.

 

Afinal, devo castrar meu cachorro?

No caso das fêmeas é altamente recomendado que você opte pela castração antes do primeiro cio, pois muitas doenças graves e comuns podem ser prevenidas com a castração.

O primeiro cio ocorre em torno dos 6 meses de idade.

Acompanhe com seu médico veterinário, pois essa data pode variar de acordo com a raça ou tamanho.

Não é recomendado que o procedimento seja feito antes dos 5 meses (castração pediátrica), principalmente em raças grandes, para que haja um bom desenvolvimento ósseo.

No caso dos machos é altamente recomendado que você o mande para castração se:

  • Ele tem problemas de comportamento, como demarcar território, agressividade, monta em outros cães ou pessoas.
  • Ele não possui os dois testículos no saco escrotal. Após um ano de idade, os dois testículos já devem ter descido para o saco escrotal; se isso não ocorrer você deve mandar castrar seu cachorro, pois essa condição aumenta as chances de ocorrer câncer nos testículos.
  • Você possui mais de um cão no mesmo ambiente certamente você deve mandar castrá-lo pra evitar brigas por dominância de território com outros machos. O mesmo se aplica se você tiver uma fêmea, para evitar gestações não planejadas.

A idade recomendada para machos também é após os 5 meses de idade, e preferivelmente antes do primeiro no de vida.

Tanto machos como fêmeas podem ser castrados em qualquer idade, porém muitos benefícios da castração são melhor observados quando castrados filhotes.

 

Conclusão

A castração é um procedimento cirúrgico que altera o metabolismo do seu cachorro e com isso traz alguns riscos.

Porém este é o procedimento mais eficaz de controle de população de cães.

Além disso, existem mais benefícios na castração do que desvantagens.

Principalmente em fêmeas, as doenças prevenidas com a castração são muito comuns e bastante graves.